“Nenhum outro deus diante de Mim”

hqdefault.jpg
A história se repete… Imagem: Divulgação.

“Nenhum outro deus diante de Mim”

Ellen G. White, Review and Herald, 10 de setembro de 1901

Durante a noite fiquei extremamente angustiada. Um grande fardo repousou sobre mim. Eu estava implorando a Deus para que Ele trabalhasse em favor do Seu povo. Minha atenção foi chamada para o dinheiro que eles investiram em fotografias. Fui levada de casa em casa, pelos lares de nosso povo, e quando fui de sala em sala, meu Instrutor disse: “Eis os ídolos que se acumularam!” {RH, 10/09/1901, par. 1}

Ao visitar os lares de nosso povo e nossas escolas, vejo que todo o espaço disponível nas mesas, estante e lareira é preenchido com fotografias. À direita e à esquerda são vistas as figuras de rostos humanos. Deus deseja que essa ordem das coisas seja mudada. Se Cristo estivesse na terra, Ele diria: “Tire estas coisas daqui.” Fui instruída que essas imagens são como tantos ídolos, tomando o tempo e o pensamento que deveriam ser sagradamente dedicados a Deus. {RH, 10/09/1901, par. 2}

Essas fotografias custam dinheiro. É consistente para nós, conhecendo o trabalho que deve ser feito neste tempo, gastar o dinheiro de Deus na produção de imagens de nossos próprios rostos e dos rostos de nossos amigos? Não deveria cada dólar que podemos poupar ser usado na edificação da causa de Deus? Essas fotografias desviam o dinheiro que deveria ser dedicado ao serviço de Deus; e eles desviam a mente das verdades da palavra de Deus. {RH, 10/09/1901, par. 3}

Essa produção e troca de fotografias é uma espécie de idolatria. Satanás está fazendo tudo o que pode para eclipsar o céu de nossa vista. Não vamos ajudá-lo fazendo ídolos de imagens. Precisamos alcançar um padrão mais elevado do que esses rostos humanos sugerem. O Senhor diz: “Não terás outros deuses diante de mim”. Aqueles que afirmam crer em Cristo precisam perceber que devem refletir Sua imagem. É a Sua semelhança que deve ser mantida diante da mente. As palavras que são faladas devem ser carregadas de inspiração celestial. {RH, 10 de setembro de 1901, par. 4}

Cristo olha para um mundo cheio de barulho de mercadorias e comércio, com a desonestidade e maquinação de compradores e vendedores. Em seu desejo de obter ganhos, os homens perderam de vista as leis da justiça e da equidade. “Não é nada, não é nada, diz o comprador: mas quando ele se foi, então se vangloria.” Satanás inventou uma infinidade de maneiras para impedir que os homens sirvam a Deus. Ele inventou esportes e jogos, nos quais os homens entram com tanta intensidade que se poderia supor que uma coroa da vida fosse recompensar o vencedor. Nas corridas de cavalos e partidas de futebol, que são frequentadas por milhares e milhares de pessoas, vidas pelas quais Cristo derramou Seu sangue são jogadas fora. O que será das almas dos homens e rapazes cujas vidas são assim extinguidas? Serão eles contados dignos da redenção que Cristo morreu para assegurar-lhes? {RH, 10/09/1901, par. 5}

Olhando para essas cenas de desonra a Deus, Cristo pergunta: “O que aproveita ao homem, se ele ganhar o mundo inteiro e perder sua própria alma? ou o que um homem deve dar em troca de sua alma?” Ele chama a atenção dos homens para o mundo mais nobre que eles perderam de vista. Ele os aponta para o limiar do céu, nivelado com a glória do Deus infinito. {RH, 10/09/1901, par. 6}

Aqueles que tomaram parte no rito solene do batismo se comprometeram a buscar as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à destra de Deus; comprometeram-se a trabalhar fervorosamente pela salvação dos pecadores. Deus pede àqueles que levam o seu nome: Como você está usando os poderes que foram redimidos pela morte do Meu Filho? Você está fazendo tudo ao seu alcance para subir mais e mais na compreensão espiritual? Você está ajustando seus interesses e ações em harmonia com as importantes reivindicações da eternidade? {RH, 10/09/1901, par. 7}

Haja uma reforma entre o povo de Deus. “Portanto, quer comais ou bebais, ou o que fazeis, seja tudo para a glória de Deus.” Aqueles sobre os quais o Senhor colocou a responsabilidade de Sua obra estão lutando para proclamar a mensagem e que as almas que perecem na ignorância possam ser advertidas. Você não poderia, por sacrifício próprio, fazer algo para ajudá-los em seu trabalho? Desperte e mostre por seu abnegado zelo e sinceridade que você está convertido. {RH, 10/09/1901, par. 8}

Cada dólar é exigido no trabalho de salvar almas. O dinheiro investido pelo professo povo de Deus na obtenção de imagens feitas de rostos humanos apoiaria vários missionários no campo. Muitos pequenos riachos, quando colocados juntos, crescem em um grande rio. {RH, 10/09/1901, par. 9}

Defraudamos os bens do nosso Senhor quando usamos para prazeres egoístas os meios que devem ser usados para proclamar a última mensagem de advertência. Se você gasta o dinheiro do Senhor para gratificação própria, como pode esperar que Ele continue a conceder Seus bens a você? Como o Mestre considera aqueles que egoisticamente investem seu dinheiro em fotografias? Esse mesmo dinheiro poderia ter sido usado para comprar literatura para enviar àqueles que estão na escuridão da ignorância. {RH, 10/09/1901, par. 10}

A verdade que Deus nos deu deve ser anunciada ao mundo. Foi-nos dado o privilégio de fazer esta obra. Devemos disseminar a semente da verdade junto a todas as águas. O Senhor nos chama a praticar a abnegação e o autossacrifício. O evangelho exige inteira consagração. As necessidades da causa exigem tudo o que podemos dar. Nossa indulgência nas fotografias foi uma gratificação egoísta de nossa parte, que testemunha silenciosamente contra nós. Por essa indulgência, uma grande quantidade de madeira, feno e restolho foi trazida para a fundação, para ser consumida pelos fogos do último dia. {RH, 10/09/1901, par. 11}

Depois de ir de casa em casa e ver as muitas fotografias, fui instruída a advertir nosso povo contra esse mal. Tudo isso podemos fazer por Deus. Podemos colocar esses ídolos em forma de imagem fora de vista. Eles não têm poder para o bem, mas se interpõem entre Deus e a alma. Eles não podem fazer nada para ajudar a disseminar as sementes da verdade. Cristo convida os que afirmam segui-Lo a colocar toda a armadura de Deus. Nossas instituições educacionais precisam sentir o poder de reforma do Espírito de Deus. “Se o sal perde seu sabor, com o que será salgado? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens ”. Aqueles que estão empenhados como professores em nossas escolas e sanatórios devem alcançar um alto padrão de consagração. E os estudantes dessas instituições, que estão se preparando para sair como missionários, devem aprender a praticar a abnegação. {RH, 10/09/1901, par. 12}

Somos os mordomos de Deus e “é exigido dos mordomos que cada homem seja achado fiel”. O dinheiro que Deus nos confiou é para ser cuidadosamente administrado. Devemos aumentar a eficiência, utilizando os talentos que nos são dados da melhor forma, para que, na vinda de Deus, possamos retornar-Lhe com juros. {RH, 10/09/1901, par. 13}

(EGW Writings)

No tempo de Moisés era o bezerro de ouro, nos tempos da irmã White eram as fotografias… e hoje, quais os ídolos que demandam nosso tempo e nossos recursos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s