Livro “A Batalha de Todo Homem”

Li [em 2014-2015] “A BATALHA DE TODO HOMEM: um guia para homens sobre como vencer as tentações sexuais”, de Stephen Arterburn & Fred Stoeker, alguns trechos importantes do livro:

1.“O que eu […] precisava fazer era treinar meus olhos e minha mente para que tivessem um bom comportamento. Precisava alinhar meus olhos e minha mente com as Escrituras e evitar todo e qualquer sinal de imoralidade sexual.” (p.46)

2.“… se você está cansado da impureza sexual e do relacionamento medíocre e distante de Deus que aparece como resultado disso […] reconheça que [você] é impuro porque diluiu o padrão de pureza sexual de Deus com o seu próprio. […] … o padrão de Deus é o de que evitemos qualquer sinal de imoralidade sexual em nossa vida.” (p.56)

3.“A impureza sexual tem se tornado excessiva na igreja porque temos ignorado o valioso trabalho de obediência aos padrões de Deus como indivíduos, perguntando com frequência: até que ponto posso chegar e ainda ser chamado de cristão?” (p.74)

4.“Os olhos fornecem aos homens os meios para cometerem o pecado a torto e a direito. […] Somos ativados pela nudez feminina de qualquer modo, jeito ou forma.” (p.81)

5.“Você é sexualmente puro quando seu prazer sexual provém de ninguém ou nada além de sua esposa.” (p.124)

6.“ … [Prive] seus olhos de todas as coisas sensuais além da sua esposa. Para os solteiros, isso significa distanciar os olhos de todas as coisas sensuais [afinal, solteiro não tem esposa]. Isso o ajudará a vencer o desejo pelo sexo antes do casamento com a mulher que namora. Se você privar seus olhos assim como os homens casados, verá sua companheira como uma pessoa, e não como um objeto.” (p.129)

7.“… Sem alimento para as fantasias mentais, a febre sexual que atrai sua mente para o pecado nessas condições será quebrada. Essas situações [tentações] perderam força rapidamente.” (p.147)

8.“Esteja contente com a esposa da sua juventude. Se ela não é tudo o que você esperava, lembre-se de que Deus o presenteou com esta cordeirinha. Você pode estabelecer um compromisso para estimá-la hoje? Se a resposta for ‘sim’, deixe sua mente ser transformada pela Palavra. Deixe sua canção ser a Canção de Salomão: [Cantares de Salomão 4:1,3,7,9,10; 7:5,6].” (p.226)

batalha_de_todo_homem.jpg
Um guia para homens sober como vencer as tentações sexuais
Anúncios

Livro “AS 5 LINGUAGEM DO AMOR: como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge”

Li em 2015 o excelente “AS 5 LINGUAGEM DO AMOR: como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge”, de Gary Chapman (reli em 2017).

As 5 linguagens do amor são maneiras que cada pessoa expressa amor e precisa receber amor expresso naquela linguagem. As 5 linguagens elencadas pelo Dr. Chapman são: palavras de afirmação (elogios), tempo de qualidade juntos, atos de serviço, recebimento de presentes e toques físicos. Quando os casais aprendem a “falar” a linguagem um do outro, o amor emocional do casamento é reavivado e o “tanque” emocional do amor de cada cônjuge é completo, tornando o relacionamento mais saudável, mais feliz. Eis alguns trechos selecionados:

1353961678_1

  1. “As pessoas falam diferentes linguagens do amor. […] Minha conclusão, depois de trinta anos de aconselhamento conjugal, é que existem cinco linguagens emocionais do amor – cinco maneiras de as pessoas falarem e entenderem o amor emocional. [São: palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e toque físico.] […] A quantidade de maneiras de expressar amor com uma linguagem do amor é limitada apenas por sua imaginação. O importante é falar a linguagem do amor de seu cônjuge.” (p.14-16)
  2. “No âmago da existência humana habita o desejo de intimidade e de ser amado. O casamento existe para saciar essa necessidade de intimidade e amor. É por esse motivo que os escritos bíblicos falam que o homem e a mulher se tornam uma só carne. … eles entram um na vida do outro de maneira profunda e íntima.” (p.22)
  3. “Nossa necessidade emocional mais básica não é a de nos apaixonarmos, mas de sermos genuinamente amados por outra pessoa, um amor que brota da razão e da opção, não do instinto. Preciso ser amado por alguém que opta por me amar, que vê em mim algo digno de ser amado.” (p.31)
  4. “… o amor verdadeiro não pode começar se a experiência da paixão não tiver concluído seu ciclo.” (p.32)
  5. “Amar é uma atitude que diz: ‘Estou casado com você e escolho buscar seus interesses’. Então, aquele que opta por amar encontrará maneiras adequadas de expressar essa decisão.” (p.32,33)
  6. “O objetivo do amor não é conseguir o que você quer, mas fazer algo pelo bem-estar daquele a quem ama. É um fato, porém, que, ao recebermos palavras afirmativas, há uma maior possibilidade de nos motivarmos a retribuir e fazer algo que nosso cônjuge deseja.” (p.39,40)
  7. “Talvez seu cônjuge tenha algum potencial não aproveitado em uma ou mais áreas da vida. Esse potencial pode estar à espera de suas palavras encorajadoras. […] O amor é gentil. Se quisermos comunicar amor verbalmente, devemos usar palavras gentis.” (p.41,42)
  8. “A melhor coisa que podemos fazer com os erros do passado é deixar que eles se tornem história. Sim ,aconteceu. Com certeza machucaram. E ainda podem machucar, mas ele reconheceu seu erro e pediu perdão. Não é possível apagar o passado, mas podemos aceitá-lo como história de vida.” (p.45)
  9. “O amor faz pedidos, não exigências. Quando exijo coisas de minha esposa, torno-me pai, e ela passa a ser minha filha. […] No casamento, porém, somos parceiros iguais e adultos. Se quisermos desenvolver um relacionamento íntimo, precisamos conhecer os desejos do outro. Se quisermos nos amar, precisamos saber o que a outra pessoa deseja.” (p.45, 46)
  10. “Um ingrediente fundamental para oferecer tempo de qualidade ao cônjuge consiste em dedicar-lhe atenção focada, especialmente em tempos de tantas distrações. […] Tempo de qualidade não significa que precisamos passar nosso tempo juntos olhando nos olhos um do outro. Significa fazer algo juntos e dedicar atenção completa à pessoa.” (p.61,62)
  11. “O presente é um símbolo visual do amor. […] …os símbolos possuem valor emocional.” (p.81)
  12. “… ninguém gosta de ser forçado a fazer nada. De fato, o amor é sempre dado livremente. Não se pode exigi-lo. Podemos pedir coisas um ao outro, mas jamais devemos exigir algo. Os pedidos direcionam o amor, mas as exigências interrompem seu fluxo.” (p.103)
  13. “… o que fazemos pelo outro antes do casamento não é indicativo do que faremos depois de casados. Antes do casamento, somos impulsionados pela força obsessiva da paixão. Depois do casamento, voltamos a ser quem éramos antes de nos apaixonarmos.” (p.107)
  14. “O amor é uma escolha e não pode ser forçado.” (p.107)
  15. “As críticas feitas por meu cônjuge sobre meu comportamento me oferecem a indicação mais clara de qual é a linguagem do amor primário dele. As pessoas tendem a criticar seu cônjuge com mais intensidade na área onde elas próprias têm maior necessidade emocional. A crítica é uma maneira ineficaz de implorar amor. Entendido isso, teremos maior facilidade de processar as críticas mais produtivamente.” (p.108)
  16. “ Marcus cometera um erro comum a muitos homens: presumir que toque físico é sua linguagem do amor primária porque desejam o sexo com muita intensidade. Para o homem, o desejo sexual tem razão física – ou seja, o desejo sexual é estimulado pelo acúmulo de espermatozoides e de fluido nas vesículas seminais. Quando essas vesículas estão cheias, existe um impulso físico para aliviá-las. Assim, o desejo sexual do homem possui uma base fisiológica.” (p.133)
  17. “Para a mulher, o desejo sexual se influencia muito mais por suas emoções. Se ela se sentir admirada e apreciada pelo marido, desejará ter intimidade física com ele. Mas, sem a proximidade emocional, ela terá pouco desejo físico. Seu impulso biológico está profundamente ligado à sua necessidade emocional de amor.” (p.133)
  18. “Satisfazer a necessidade de amor de minha esposa é uma escolha que faço todos os dias. […] Se ela fizer o mesmo por mim, minhas necessidades emocionais serão atendidas, e os dois viverão com o tanque cheio. Num estado de contentamento emocional, o casal dedica energia criativa a diversos projetos saudáveis fora do casamento, ao mesmo tempo que continua a manter o casamento empolgante e vivo.” (p.144)
  19. “ – Talvez seja bom fazermos uma distinção entre amor como sentimento e amor como ação. Se você afirmar que tem sentimentos que na verdade não tem, é hipocrisia, e essa declaração falsa não é a forma correta de construir relacionamentos íntimos. Mas, se você expressar um ato de amor planejado para o benefício ou o prazer da outra pessoa, é simplesmente uma escolha. Você não está afirmando que a ação tem como origem um profundo elo emocional, mas simplesmente optando por fazer algo em benefício da pessoa. Penso que foi isso o que Jesus quis dizer [em Lc 6:27-28, 31-32].” (p.169)
  20. “Com tanques de amor vazios, os casais tendem a discutir e se afastar… Quando o tanque de amor está cheio, porém, cria-se um clima de amizade, de buscar o entendimento, de disposição para aceitar as diferenças e negociar problemas. Estou convencido de que não há outra área do casamento que afete o restante da relação tanto quanto a satisfação da necessidade emocional de amor.” (p.176)
  21. “Nada é mais devastador para a intimidade conjugal do que a infidelidade sexual. A relação sexual é uma experiência que cria vínculos. Ela une duas pessoas da maneira mais profunda possível. […] Quando esse compromisso é rompido, as consequências para o casamento são devastadoras.” (p.190, 191)

Livro “Nem Tudo Que Cai na Rede é Peixe”

Conclui o livro “Nem Tudo Que Cai na Rede é Peixe”, de Heather Marie Thompson, alguns trechos selecionados:

  1. “… o namoro não deve ser a sua chance para o evangelismo. Confie em mim; eu tinha o hábito de fazer isso. Você não deve entrar em um relacionamento com a esperança de mudar a religião da outra pessoa ou trabalhar em torno de suas diferenças religiosas. Isso envolve sua vida e o futuro de seus filhos. Não é um jogo a ser vencido nem deveria ser um método de conversão.” (p.15)
  2. “A triste verdade é que, normalmente, passamos de largo pela maioria dos rapazes bons que conhecemos. Nós os colocamos na ‘zona de amigos’ e choramos no ombro deles porque o cara que estamos buscando é muito idiota. … é hora de quebrar essas cadeias de amizade e reconhecer o ombro onde você tem chorado como o de um homem surpreendente. Eu me sinto mal por todos os maridos potencialmente muito bons que ficam colocados na ‘zona de amigos’ por causa de sua autenticidade. Isso não é justo.” (p.24)
  3. “A amizade é provavelmente o aspecto mais importante da relação com seu futuro marido.” (p.24)
  4. “Construir um relacionamento amoroso sem amizade primeiro é como construir uma casa sobre a areia.” (p.28)
  5. “O ciúme é praticamente sinônimo de insegurança. Ele nunca é atraente, mas totalmente desnecessário.” (p.29)
  6. “Seus pais, embora ‘terrivelmente chatos’, na verdade, são cartões de bônus secretos no namoro. Se eles não confiam em seu namorado, provavelmente eles estão certos.” (p.32)
  7. “Seu novo namorado não deve ter que se preocupar se ainda há ou não algum sentimento de sobra [pelo ex], mesmo se não houver. Se não vai terminar sua amizade como o ex-namorado por causa do novo namorado, vocês provavelmente não deveriam estar namorando. Você ainda precisa de mais tempo para entender exatamente o que quer.” (p.52)
  8. “… é muito raro que as pessoas mudem e impossível se elas não mudarem por si mesmas. Se o rapaz está mudando simplesmente para estar com você, finalmente essa necessidade de agradá-la vai morrer, e ele vai perguntar por que você não pode aceitá-lo do jeito que é. A verdade é que ele está certo. Se não pode aceitá-lo como ele é naquele momento, então termine o namoro.” (p.63)
  9. “Um rapaz que respeite você nunca vai pressioná-la a dormir com ele. Espere pelo homem que a considerará a sua rainha.” (p.67)
  10. “O primeiro passo do relacionamento precisa ser baseado numa amizade sólida. […] Como amigos, vocês devem ser capazes de falar sobre tudo. A comunicação saudável é parte importante do sucesso de qualquer relacionamento.” (p.70)
  11. “Um grande erro que as mulheres costumam cometer quando são confrontadas com a questão da desonestidade [traição] é o de culpar a outra mulher. Não foi ela quem prometeu que amaria você, nem a consolou quando você chorava, nem era a pessoa com quem pensou que pudesse contar sempre. Isso não tem nada a ver com ela porque ela não tem nada a ver com você. Por tudo o que você sabe, ela poderia ser também uma vítima. Se concentrar sua raiva sobre a outra mulher, estará cometendo um grande erro e se colocando nas mãos dele. Seu namorado adoraria que ela fosse a vilã porque então vocês dois poderiam concentrar nela como sendo o problema. Dessa forma, você nunca resolverá o que ele fez. Isso não tem nada a ver com ela, mas com a atitude dele. Ele quebrou as promessas que fez. Você confiou, e ele foi descuidado. Focalize o alvo certo: o traidor.” (p.73)
  12. “… se ele a traiu, você precisa terminar. As meninas, especialmente hoje em dia, estão se tornando mais e mais inclinadas a desculpar o namorado. […] Você não consegue imaginar a vida sem ele; por isso, desculpa qualquer comportamento para tê-lo com você. […] Se está procurando um parceiro para a vida, esse método é imperdoável e não há como continuar.” (p.74)
  13. “… o sexo só é realmente ótimo quando você ama a pessoa com quem está e sabe que estarão juntos para o resto da vida.” (p.79)
  14. “… a virgindade é o melhor presente que marido e mulher podem dar um ao outro na noite de núpcias. Isso coloca as palavras ‘eu amo você’ em uma forma física. […] Sexo é para ser uma ligação entre vocês dois, tornando-os uma só pessoa.” (p.80)
  15. “O sexo fora do casamento não é ruim apenas para o futuro companheiro; também é ruim para você. O principal órgão sexual da mulher é o coração.” (p.85)
  16. “Eu gostaria de tocar em algumas coisas essenciais que você pode procurar quando fizer a lista do que deseja em alguém. Em minha opinião, a coisa mais importante para se procurar é que ele seja um rapaz que realmente a faça querer ser uma pessoa melhor. Afinal, ele vai se tornar uma grande parte de quem você é. Procure alguém que a faça querer ter sucesso, alguém que a faça se sentir linda, que a faça rir e que reforce em sua mente a realidade de Deus e a importância de viver cada dia em busca de uma relação mais profunda com Ele.” (p.92)
Scan0487__00553_zoom.jpg
Aquira em http://www.cpb.com.br

10 coisas que um homem casado nunca deve falar a outra mulher

10 COISAS QUE UM HOMEM CASADO NUNCA DEVE FALAR A OUTRA MULHER

14064185_1074874705942431_7415074197259184675_n

Amizades muito íntimas devem ser evitadas a todo custo, tanto para os homens quanto para as mulheres. A melhor amiga de um homem casado deve ser a sua esposa e a mulher com quem ele mais conversa e fala de sua vida deve também ser a sua esposa. A esposa deve ser a principal mulher na sua vida, sem exceção.

1. ESTOU PRECISANDO DE UMA AMIGA PARA CONVERSAR.

Esse tipo de frase cria uma proximidade entre os dois que não deve existir. Se um homem quer conversar com alguém, a sua esposa é a melhor pessoa para se fazer isso.

2. FAZ TEMPO QUE NÃO TENHO INTIMIDADE SEXUAL COM MINHA ESPOSA.

Isso não é coisa que se fale para ninguém, principalmente para outra mulher. Se você se sente frustrado por causa disso, fale com a sua esposa e tente resolver isso com ela.

3. EU E MINHA ESPOSA NÃO NOS DAMOS BEM.

Se vocês não se dessem bem, acho que não tinham decidido casar. Se o seu casamento estiver passando por uma fase ruim, tente relembrar dos momentos bons e tente se aproximar de sua esposa ao invés de tentar se aproximar de outra mulher.

4. ESTOU SEMPRE BRIGANDO COM MINHA ESPOSA.

Ninguém além de você e ela precisa saber disso.

5. QUE BOM QUE TENHO VOCÊ SEMPRE PERTO DE MIM.

Esse tipo de frase mostra que você se interessa pela outra mulher, que você a quer por perto e que você também precisa dela por perto. Um homem casado não deve ter esse tipo de amizade com outra mulher.

6. ANDO ESTRESSADO DEMAIS, QUER FICAR COMIGO MAIS TARDE?

Sair com outra mulher sozinhos é um grande desrespeito para com a esposa e é o primeiro passo para a traição.

7. SOMOS SÓ AMIGOS, NÃO ESTAMOS FAZENDO NADA ERRADO.

Se você precisa dar desculpas para ter certas atitudes é sinal de que essas atitudes estão totalmente erradas. Evite qualquer tipo de atitude que você fica dando desculpa de que não há nada demais.

8. VOCÊ TEM NAMORADO?

Um homem não deve perguntar isso a outra mulher porque esse tipo de informação não deve ser de seu interesse.

9. VOCÊ ME ACHA UM BOM MARIDO?

Esse tipo de coisa deve ser perguntado para a sua esposa e não outra mulher.
Então, se você é casado evite esse tipo de amizade com outras mulheres. Respeite o compromisso que você escolheu fazer com sua esposa.

10. VOCÊ QUER FICAR COMIGO, PARA NÓS CONHECER MELHOR?

Quando você está fazendo tudo isso está iniciando a quebra dos votos conjugais e as promessas que fez a ela de ser fiel até que a morte os separe. É o caminho para o divórcio.

Por: Família.com / Postado e adaptado por: Hugo Bustamante.

Livreto “Lua-de-Mel: o que você sempre quis saber, mas tinha medo de perguntar”

Trechos selecionados do livreto “Lua-de-Mel: o que você sempre quis saber, mas tinha medo de perguntar”, de Nancy Van Pelt:

  1. “Mesmo que você esteja seguro de que encontrou o ‘verdadeiro amor’, não deve apressar-se para o altar. Recomendo dois anos de namoro antes do casamento. Espera-se que o casal complete pelo menos um ano de namoro antes de mencionar o assunto do casamento. […] Um compromisso para a vida jamais deve se basear em um namoro curto.” (p. 9)
  2. “Se o casamento é uma coisa muito pública, a lua-de-mel é estritamente privada. Ela dará aos dois a primeira chance de estarem a sós como pessoas casadas.” (p.11)
  3. “Separem um período para estudar a Bíblia e orar juntos. Iniciem a prática agora e estabeleçam-na como um hábito regular em sua família. […] O livro de Provérbios é ótimo para ser lido em voz alta durante a lua-de-mel. […] Outra boa opção é Cantares de Salomão, com suas lindas descrições do amor físico.” (p.14)
  4. “A intimidade sexual é a experiência central da lua-de-mel.” (p.14)
  5. “Um noivo solícito procurará dar prioridade à satisfação de sua jovem esposa ao invés de buscar satisfazer seus próprios desejos. [….] Ele tem que pensar em sexo como uma experiência mutuamente partilhada e apreciada, não apenas uma experiência voltada para si mesmo.” (p.15)
  6. “Durante os primeiros doze meses [de casados], o casal tem que enfrentar os maiores problemas, mas com o mínimo de experiência.” (p.23)
  7. “Recomendo muito que todos os recém-casados evitem a compra de um aparelho de TV durante o primeiro ano de matrimônio. A televisão roubará muitas horas que poderiam gastar juntos, conversando e comunicando-se um com o outro. Quando isso ocorre, algo do relacionamento se perde. É essencial, então, que os casais se unam no importantíssimo primeiro ano para formar um laço inseparável de intimidade, através de boa comunicação.” (p.30)

Quer saber mais? Leia o livro! Você pode adquiri-lo aqui.

Lua de Mel.jpg
Um livreto muito interessante, recomendo.

Fornicação x Adultério

Você sabe qual é a definição ou a diferença entre fornicação e adultério? Segundo o dicionário, ambos são definidos como relação sexual voluntária entre duas pessoas. A diferença é que a fornicação é entre duas pessoas solteiras enquanto que o adultério ocorre quando pelo menos uma delas é casada.

adulterio.png
E qual seria então a definição de uma ‘relação sexual voluntária entre duas pessoas’? Uma relação sexual tem um começo e um fim, mas a nossa sociedade moderna e liberal, e até mesmo a igreja hoje, só considera aquele ‘fim’ como relação sexual e tudo que leva àquele ‘fim’ é totalmente apropriado.

Será que essa nossa definição está correta? Por exemplo: Se beijos íntimos antes do casamento não é fornicação, então, por que eu não posso beijar outra pessoa depois de casar? Se a gente considera como adultério (pelo menos eu considero) uma pessoa casada ficar abraçando de forma íntima ou ter outra pessoa que não seja seu cônjuge sentada no seu colo, então qual é a diferença de fazer isso antes do casamento? Em outras palavras, se algo desperta paixões sexuais, está dentro da definição de relacionamento sexual. Assim, o ‘A’ até o ‘Z’ engloba o relacionamento sexual, existe um todo, e esse todo, fora do casamento, é fornicação ou adultério.

Não inicie um processo que você não pode terminar. É uma porta aberta para Satanás e esse não é o objetivo do namoro ou do casamento.

“Nem todos os que professam guardar os mandamentos de Deus mantêm seu corpo em santificação e honra. A mais solene mensagem já entregue a mortais foi confiada a este povo, e eles poderão exercer uma poderosa influência caso sejam por ela santificados. Eles professam estar em pé sobre a elevada plataforma da verdade eterna, guardando todos os mandamentos de Deus; por isso, se condescenderem com o pecado, se cometerem fornicação e adultério, seu crime é de magnitude dez vezes maior do que o das classes que mencionei, que não reconhecem a lei de Deus como obrigatória. Num sentido especial os que professam guardar a lei de Deus O desonram, e desacreditam a verdade quebrantando-lhe os preceitos. Foi o predomínio deste pecado, a fornicação, entre o Israel antigo, que trouxe sobre eles a assinalada manifestação da desaprovação de Deus.” (Testemunhos para a Igreja 2, p. 450-451).

(Preparados Para Sua Vinda)

Livro “Cartas a Jovens Namorados”

Trechos selecionados do livro “Cartas a Jovens Namorados”, da escritora Ellen G. White:

  1. “Sejam sempre zelosos e ternos pelos sentimentos um do outro. Não permitam nenhum tipo de zombaria, gracejo ou repreensão irônica entre vocês.” (p. 17)
  2. “… tanto os rapazes como as moças devem obter conhecimento dos deveres domésticos. Fazer a cama e arranjar o quarto, lavar a louça, preparar a comida, lavar e consertar sua própria roupa, são conhecimentos que não tornarão um rapaz menos varonil; torná-lo-ão mais feliz e mais útil.” (p. 21)
  3. “Receba a jovem como companheiro vitalício tão-somente ao que possua traços de caráter puros e varonis, que seja diligente, honesto e tenha aspirações, que ame e tema a Deus.” (p. 26)
  4. “Evite os que são irreverentes. Evite quem é amante da ociosidade; evite quem zomba das coisas sagradas. Evite a companhia de quem usa linguagem profana ou é inclinado a tomar até mesmo um cálice de bebida alcoólica. Não ouça as propostas de um homem que não reconhece sua responsabilidade para com Deus.” (p. 28)
  5. “Não se case com alguém que, você sabe, não será uma honra para seus pais, e sim com alguém que tenha inteligência e dignidade moral.” (p. 38, 39)
  6. “Se homens e mulheres têm o hábito de orar duas vezes ao dia antes de pensar no casamento, devem fazê-lo quatro vezes quando pensam em dar esse passo.” (p. 41)
  7. “Não se afaste de seu Redentor por causa de um jovem sem religião, um escarnecedor das coisas sagradas. Corte imediatamente a intimidade existente entre vocês. Não siga sua inclinação, e sim o seu Salvador. Vida eterna, minha querida filha, vida eterna é o que deve desejar a qualquer custo. Não a sacrifique por seu mero prazer, por seguir seus próprios sentimentos, e sim entregue-se a Jesus, ame-O e viva para Sua glória.” (p. 56)
  8. “… devem-se esquivar de ler, ver ou ouvir tudo quanto sugira pensamentos impuros.” (p. 62)
  9. “Poucas tentações são tão perigosas e fatais para os jovens como a sensualidade.” (p. 71)
  10. “Antes de dar a mão em casamento, deveria toda mulher indagar se aquele com quem está para unir seu destino, é digno. Qual é seu passado? É pura a sua vida? É o amor que ele exprime de caráter nobre, elevado, ou é simples inclinação emotiva? Tem os traços de caráter que a tornarão feliz? Poderá ela encontrar verdadeira paz e alegria na afeição dele? Ser-lhe-á permitido, a ela, conservar sua individualidade, ou terá de submeter seu juízo e consciência ao domínio do marido? Como discípula de Cristo, ela não pertence a si mesma, foi comprada por preço. Pode honrar as reivindicações do Salvador como supremas? Serão conservados puros e santos o corpo e a alma, os pensamentos e propósitos? Estas perguntas têm influência vital sobre o bem-estar de toda mulher que se casa.” (p. 88)

CJN.jpg

Você pode adquiri-lo no formato impresso aqui ou no formato digital aqui.