Tela azul

— Mamãe, há pessoas que adoram o computador?

— O computador é um ídolo para a pessoas, mamãe?

João continua sem computador porque não vê a mãe diante de telas, mas conversamos sobre os tempos em que vivemos. Não tenho conta na rede social, não trabalho fora e, por isso, recebo poucos e-mails sem urgência para respostas. Eventualmente, de madrugada ou quando o João não está, acesso a internet. No wordpress, tem um recurso de agendar publicação. Posso entrar apenas uma vez por mês, e postar. Pronto. São palavras ouvidas em silêncio. A vida segue no tempo do sítio, mas nas poucas horas que fico na rede, preciso ter uma vontade forte para não me deixar enlaçar.

O sítio desloca meu olhar das telas.

Não há sites, há sítio.

Mas não é assim para milhares de pessoas. O Brasil é o país do mundo que tem o maior índice de usuários viciados em internet. Milhares de famílias viciadas em internet. Podem até ficar sem álcool ou cigarro, mas não ficam sem a rede. Para piorar a situação, é vício, principalmente, em rede social. Vício em imagens. Vício que arrebata a alma.

Em nenhum país do mundo as pessoas expõem tanto a vida pessoal – roupas sensuais, cabelo, maquiagem, viagens, relacionamentos, bebidas e comidas, os filhos, o corpo – quanto no Brasil. Todo mundo faz – todo mundo no Brasil –, parece obrigatório – como se para existir fosse preciso existir na rede. Parece normal, mas não é. É patológico porque não se divulga conceitos, se divulga o corpo. Porque se divulga corpos a pretexto de conceitos.

É preciso conectar para estar conectado, seguir para ser seguido, curtir para ser curtido, enquanto a vida segue em outro tempo. E o tempo passa.

Pior do que não ter acessado um vídeo-minuto que some na rede com hora marcada é perder a dimensão de estar no mundo e ser livre. Seja lá qual for a mensagem, se boa ou má, se cristã ou não, o vício na rede é servidão voluntária. É viver no Egito.

Que mal há nisso?

As crianças crescem inseridas dentro dessa cultura viciante. Há sérias implicações.

Crianças de até dois anos de idade jamais deveriam ser colocadas diante de telas, afirma a Sociedade Norte-americana de Pediatria. Mas elas não só estão diante de telas, como veem as mães e pais diante de telas. Como os pais podem esperar algo mais do que selfs para o futuro dos filhos? O futuro chega amanhã bem cedo.

Recentemente, pesquisa realizada na Universidade de Haifa, em Israel, concluiu que a maioria das telas de computador, tablet, televisão, smartphone emitem uma “luz azul” que danifica os ritmos do corpo e do sono, desregulando a produção hormonal de serotonina. Qualquer tempo de exposição à luz azul das telas, em qualquer horário do dia, perturba o funcionamento do organismo.

Em crianças que vão dormir tarde da noite, após horas em frente às telas, a situação é ainda pior: a produção e liberação de hormônio de crescimento podem ser até inexistente. O mesmo ocorre com outros importantes hormônios que regulam o corpo, tais como leptina (hormônio da saciedade), cortisol (ligado à estabilidade emocional, controle de infamações e alergias) e TSH (regulação da tireoide). Além disso, a luz azul prejudica a regulação da temperatura corporal, provocando interrupções do sono.

Portanto, o conteúdo pode ser até apropriado, mas as telas causam danos físicos. Fazem seu filho dormir menos e mal. E se falta o sono adequado, falta tudo, pois o sono está ligado ao crescimento, memória, inteligência, emoções, saúde física, adoecimento, sistema imunológico, doença simples e graves. O sono define a vida. O sono refaz a criança.

Para cada hora de tela, perde-se 15 minutos de qualidade de vida, apontam pesquisas. Assim, se eu seguir a cartilha do equilíbrio, meu filho, que ainda não tem condições de fazer suas próprias escolhas, poderá ficar um pouquinho no computador, assistindo a um documentário selecionado, e perder um pouquinho da sua qualidade de vida. O discurso do equilíbrio não é um discurso cristão.

Reportagem da revista Veja afirma que, na última década, a depressão entre jovens aumentou 40%. Para os pesquisadores, a internet está relacionada diretamente ao adoecimento mental. Os números são aterradores, mas os pais dormem diante das telas. O computador suprime a vida.

Se não há telas tem que existir um sítio. Só sítios combatem sites.

Aqui no sítio, há uma família de agricultores descendentes de italianos. O vô trabalha sol a sol, o filho trabalha na terra, o neto segue o mesmo caminho. Não há tempo para internet.

Lugar de criança é na natureza.

Cada árvore é um link para a imensidão. Seu nome popular e científico, sua composição, forma e flores e frutos ensinam a ciência de Deus. A luz azul vem do céu e não há escuridão.

É difícil para homens e mulheres estabelecer os limites na questão de tirar fotos […].. Um ídolo é qualquer coisa que os seres humanos amam e em que confiam, em vez de amar o Senhor, seu Criador, e confiar nEle. Qualquer coisa terrestre que os homens desejam e em que confiam como tendo poder para ajudá-los e lhes fazer bem, desvia-os de Deus e é um ídolo para eles. Tudo que divide as afeições ou arrebata da alma o supremo amor de Deus ou se interpõe para evitar a ilimitada e inteira confiança em Deus assume o caráter e toma a forma de um ídolo no templo da alma.
Ellen White.

antesquecrescam

— Mamãe, há pessoas que adoram o computador?

— O computador é um ídolo para a pessoas, mamãe?

João continua sem computador porque não vê a mãe diante de telas, mas conversamos sobre os tempos em que vivemos. Não tenho conta na rede social, não trabalho fora e, por isso, recebo poucos e-mails sem urgência para respostas. Eventualmente, de madrugada ou quando o João não está, acesso a internet. No wordpress, tem um recurso de agendar publicação. Posso entrar apenas uma vez por mês, e postar. Pronto. São palavras ouvidas em silêncio. A vida segue no tempo do sítio, mas nas poucas horas que fico na rede, preciso ter uma vontade forte para não me deixar enlaçar.

O sítio desloca meu olhar das telas.

Não há sites, há sítio.

Mas não é assim para milhares de pessoas. O Brasil é o país do mundo que tem o maior índice de…

Ver o post original 775 mais palavras

Anúncios

Essa é uma pergunta muito comum que eu tive que me habituar a responder. Em geral, ela vem associada a comentários do tipo “você deve ter muito tempo livre”, “você deve ter nascido com esse dom”, “se eu tivesse uma história como a sua eu também leria muito”, “pra você deve ser fácil, já que […]

via “COMO VOCÊ CONSEGUE LER TANTOS LIVROS?” — Valéria de Carvalho

Moisés face a face com Deus

Moisés pediu para ver a glória de Deus (Êx 33:18), mas o SENHOR disse-lhe que não podia ver Sua face, pois todo o homem que visse a face de Deus morreria (Êx 33:20). 

Parece uma contradição, mas não é? A expressão, em Dt 34.10, que diz que o SENHOR falava a Moisés face a face (também relatado em Êx 33:11) significa apenas que Moisés tinha uma intimidade profunda com o Criador. Significava que Deus podia falar com Moisés sem interferência, ele era submisso, temente e obediente a Deus, por isso Deus falava como se fala com um amigo (Êx 33:11).

Outros homens do Antigo Testamento tiveram experiências ou revelações especiais com Deus e afirmaram que viram a face de Deus, mas quando eles diziam isso, não significa literalmente que eles viram a face de Deus, mas sim que tiveram uma revelação especial de Sua parte.

Exemplos disso pode-se ver com Jacó, após lutar com o Anjo do Senhor disse que viu a face de Deus e sobreviveu (Gn 32:30),  com Gideão que disse que viu o Anjo do Senhor face a face e temeu (Jz 6:22, 23), com Isaías quando foi comissionado, ele disse que seus olhos viram o Rei e também temeu (Is 6:5). Nenhum deles viu a face realmente, ou a glória de Deus em Sua plenitude. 

João confirma isso dizendo no início de seu evangelho: “Deus nunca foi visto por alguém.” (Jo 1:18). Filipe, lembrando o pedido de Moisés, disse ao Senhor Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai.” (Jo 14:8) e Jesus disse que Ele era a plena revelação do Pai (Jo 1:18).

Deus conosco, Deus em carne, Deus feito menor que os anjos (Hb 2:7), Jesus, Ele revela a glória do Pai. Quando Jesus apareceu glorificado a João em Patmos, o discípulo fraquejou (Ap 1:17). Nenhum ser humano conseguiria ver a glória completa da Divindade por causa de sua natureza pecaminosa. 

Mas quando Jesus regressar nas nuvens do Céu, a ordem dessas coisas mudará, tudo será diferente, “porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face” (1 Co 13:12), aí teremos comunhão plena com Deus, nós O veremos face a face, “e a cidade não necessita de Sol nem lua… porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada” (Ap 21.23). Que Deus nos dê o privilégio de estar com Ele quando essas palavras se cumprirem.

Blog Temperança: 3 anos

Olá amigos! Estou aqui para escrever o tradicional post de aniversário do Blog Temperança! Há 3 anos, no dia 19 de março de 2016, eu iniciava a “carreira” de escritor de blogs, realmente passa muito rápido! Ah, para quem não sabe, o nome do blog vem de um dos frutos do Espírito e do livro de mesmo nome da irmã Ellen G. White. Inclusive as imagens de capa e do primeiro post são do livro físico e digital hehe

Então, nesse último ano, o blog cresceu bastante em número de acesso, ultrapassamos a marca de 100 mil visualizações, fui até reconhecido por um irmão da igreja que não sabia de minha autoria e pesquisava sobre temas bíblicos nesse espaço. Que honra! 

Alguns dados:

Dados do 1º ano (19/03/2017):

Dados do 2º ano (20/03/2018):

Dados do 3º ano (19/03/2019):

Ano passado eu comentava que o blog já era internacional e esse ano confirmou! Acesso de vários países, só esta semana: Brasil, Estados Unidos, Portugal, Hong Kong, Republica Dominicana, Venezuela, Paraguai, Equador, Espanha, Peru, Argentina, El Salvador, Reino Unido, México, Colômbia, Chile, Porto Rico, Suíça e França!

A marca ainda é a mesma de sempre haha era para ser provisória, mas já dura 3 anos! Quem sabe este ano eu mudo e “profissionalizo” mais o blog! Muito obrigado!

temperanc3a7a-te
Marca utilizada em mais um ano! Esse ano eu mudo (ou não)!

Meu 4º aniversário de batismo!

Há 4 anos, do dia 8 a 14 de março de 2015, o Pr. Jeú Caetano esteve na Comunidade Amiga ministrando a Semana de Enriquecimento Espiritual, uma maratona de cultos às 5h, 13h e 19:30h, de domingo a sexta, concluindo no sábado com culto divino (manhã), seminário de enriquecimento espiritual e batismos (tarde). Foi uma semana fantástica, fui em todos os cultos e me batizei no dia 14, junto com mais três irmãos (Jefferson, Michelle e Régis).

Sim, hoje fez 4 anos do meu batismo! Que benção! Muito feliz! As provas abaixo… Sem dúvidas um dos dias mais felizes da minha vida, se eu pudesse voltar naquele dia e reviver tudo de novo! Obrigado Senhor, peço-Te ajuda para ficar de pé até o fim!

batismo 2 (1)
Eu, Pr. Laerte, Jefferson e Pr. Jonas
batismo 2 (3)
Profissào de fé pela manhã
batismo 1
Pr. Jonas, pastor distrital em 2015, Santa Mônica, Uberlândia-MG

 

Livro “Obreiros Evangélicos”

livro-obreiros-evangelicos-livro-por-ellen-g-white-brinde-D_NQ_NP_867595-MLB28019885674_082018-FObreiros Evangélicos (Gospel Workers, em inglês) foi publicado pela primeira vez em 1892, reunindo um compilado de conselhos inspirados sobre a obra missionária com enfoque no trabalho de ministros, evangelistas, colportores e professores de Bíblia. A versão atual publicada, expandida em 1915, além dos conselhos iniciais da década de 1890, traz gemas da verdade sobre o tema contidas nos clássicos O Desejado de Todas as Nações (1898), Atos dos Apóstolos (1911), A Ciência do Bom Viver (1905), Educação (1903), Parábolas de Jesus (1900), além de vários enxertos dos volumes dos Testemunhos para a Igreja (o último volume, 1909). 

O livro tem 12 seções, com várias subseções dentro destas seções, dentre as quais destaco: O Preparo Necessário, Requisitos, O Subpastor, Auxílio na Obra Evangélica e Métodos. Destaco também a subseção mais linda do livro: A Oração Particular (páginas 254-258). Tem muita coisa boa neste livro, conselhos muito bons, alguns bem práticos e bastante úteis, considerando que o livro já é centenário. Há também outros conselhos “inéditos” para mim. Sem dúvidas, é um clássico da literatura adventista que merece ser lido! 

A oração é a respiração da alma. É o segredo do poder espiritual. Nenhum outro meio de graça a pode substituir, e a saúde da alma ser conservada. (OE, 254, 255)

Os 10 Melhores Livros Lidos em 2018

  1. “África, Missão Possível: uma fantástica aventura missionária pelos países da janela 10/40”, Davi Tavares e Ângela Tavares (Ed. Paradigma)

Este livro é de tirar o fôlego! Descreve em detalhe as aventuras das muitas viagens missionárias que o casal Davi e Ângela fizeram pela África. É uma história real, envolvente, empolgante e triste (em vários momentos). Fácil de começar a ler, mas difícil, quase impossível, parar.

  1. “O Desejado de Todas as Nações”, Ellen G. White (CPB)

Um sonho realizado: ler O Desejado de Todas as Nações. É o primeiro livro da Série O Grande Conflito que leio na versão completa. Talvez esse seja o melhor livro escrito por Ellen G. White. Conta a história de Cristo do Seu nascimento até Sua ascensão. Tremendo!     

  1. “No Poder do Espírito”, W.W. Prescott (Editora dos Pioneiros)

Este livro me surpreendeu positivamente. É a compilação de oito sermões poderosos do Prof. W.W.Prescott, proferidos numa reunião campal na Austrália, em 1895 e mais tarde publicados no periódico denominacional australiano The Bible Echo. O livro parece ser despretensioso, de início, mas no final conclui que essa é uma literatura maravilhosa que pretendo ler novamente. Ah, o tema dos sermões: Cristo e Este crucificado!

  1. “Promessa Cumprida”, Diogo Cavalcanti (CPB)

Este livro-documentário conta a história do pioneirismo de Luís Gonçalves (hoje pastor na Rede Novo Tempo) em estabelecer a Igreja Adventista do Sétima Dia na cidade de Aparecida-SP, santuário do Catolicismo Romano no Brasil. Um livro maravilhoso, histórias fantásticas e comoventes. Outro livro fácil de começar a ler, mas difícil de parar. 

  1. “A Descoberta”, Denis Cruz e Michelson Borges (CPB)

Este livro conta a estória de um físico ateu e evolucionista rumo ao descobrimento de Deus. Um livro muito bom, a história me prendeu e, novamente, foi fácil começar a ler, mas difícil de parar. 

  1. “Música, Reverência e Adoração”, Leandro Dalla (Editora GSA)

Outro livro que me surpreendeu, pela qualidade e profundidade de informações, foi esse. Leandro Dalla trata dos três temas especificados no título: música, na qual ele toma a maior parte do livro, tratando de muito assuntos polêmicos; a reverência na casa de Deus e a definição de adoração (duas seções muito boas também). Recomendadíssimo. 

  1. “Todos Envolvidos na Missão”, Alejandro Bullón (CPB)

Pequeno livro, com um pouco mais de 100 páginas, mas com conteúdo profundo. Esse livro é essencial para a missão cristã nos dias de hoje. Sem dúvidas, um livro maravilhoso.    

  1. “A Visão Apocalíptica e a Neutralização do Adventismo”, George R. Knight (CPB)

Bom livro do Dr. George Knight. Será que estamos apagando nossa relevância ao deixar de lado a visão apocalíptica, a doutrina do juízo e a crença no santuário celestial? Será que estamos nos tornando em apenas mais um grupo de crentes como qualquer outro? Conteúdo essencial para adventistas do sétimo dia. 

  1. “O Grande Movimento Adventista”, J.N. Loughborough (Editora dos Pioneiros)

Só o fato de este ser o único livro da História da Igreja Adventista do Sétimo Dia, escrito por uma testemunha ocular, já vale a leitura.  J. N. Loughborough foi um dos pioneiros adventistas do sétimo dia. Apesar de ser datado de 1905, o livro é totalmente atual. Em 28 capítulos, o historiador relembra toda a história do movimento adventista, desde a pregação de Guilherme Miller na década de 1830 até o desenvolvimento da Igreja Adventista do Sétimo Dia no início do século XX. Excelente! 

  1. “O Poder do Hábito”, Charles Duhigg (Ed. Objetivo)

Nossa vida é feita de hábitos! Como eles funcionam? Como criamos os nossos hábitos? Como deixamos hábitos ruins? Um livro-documentário com uma teoria interessante e muitos casos práticos. Boa leitura!

FRICAN_MISSAO_POSSIVEL_1416947324423813SK1416947324B
A melhor literatura que li em 2018!

Veja também:

Os 10 Melhores Livros Lidos em 2017,

 Os 10 Melhores Livros Lidos em 2016, 

Os 10 Melhores Livros Lidos em 2015.